A escola é cidade & a cidade é escola

finalista 2015

Instituição
Eduqativo - Instituto Choque Cultural
Endereço
Rua Medeiros de Albuquerque, 250 (endereço antigo: Rua João Moura, 1001) - Jardim das Bandeiras - São Paulo/SP
E-mail
eduqativo@gmail.com.br
Telefone
(11) 4171-6556
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Raquel Ribeiro(11) 3227-20242016raquelribeiro@gmail.comwww.institutochoquecultural.org.br www.facebook.com/Eduqativo (11) 98114 6474
Resumo da Tecnologia

Tecnologia social de melhoria do ambiente escolar e integração educação-cultura a partir da arte. Engloba a formação de professores como multiplicadores e gestores culturais na escola, além de realização de uma intervenção artística e doação de minibiblioteca urbana. Na formação os professores são levados a verem a escola e a cidade em todo seu potencial pedagógico utilizando estratégias educativas que conectem a sala de aula com a cidade e com o mundo, aproximando educação-cultura. Para isso são realizados encontros presenciais; apoio à distância; e evento englobando a intervenção de um artista reconhecido da arte urbana e doação de minibiblioteca com 30 títulos de interesse juvenil.*{ods4},{ods10},{ods13}*

Tema Principal

Educação

Tema Secundário

Meio ambiente

Problema Solucionado

Segundo Priscila Cruz, diretora-executiva do movimento Todos pela Educação, existe 1,6 milhão adolescentes de 15 a 17 anos fora da escola, podendo aumentar os números dos comportamentos de risco. Uma das justificativas mais fortes é a de que a escola não faz mais sentido para a vida prática dos alunos. Especialistas apontam o currículo inchado, que nem abre perspectivas profissionais nem prepara para o vestibular, como um dos entraves. Por outro lado, a demanda por ações mais integradas entre educação e cultura é crescente, levando o Ministro da Cultura a criar a Secretaria de Educação e Formação Artística e Cultural, cuja meta é fomentar o diálogo entre as diversas práticas culturais e a educação formal como um caminho para a qualificação e a ampliação do repertório cultural de jovens, mas ações concretas desta secretaria ainda estão sendo criadas e implementadas. Em consonância com estes desafios, em ambos os Planos Nacionais, o da educação e o da cultura, são propostas metas tanto para a formação de professores em sua área de atuação, como para a qualificação destes em áreas como gestão cultural, linguagens artísticas e demais áreas da cultura.

Objetivo Geral

Formar profissionais que possam integrar educação e cultura a partir da arte em ações mais contemporâneas que contribuam com a melhoria do ambiente escolar, no que diz respeito ao espaço físico mais atrativo aos alunos e no que diz respeito à aproximação dos interesses educacionais e juvenis.

Objetivo Específico

- Levar o educador a refletir sobre seu papel como agente cultural na escola e as transformações necessárias à educação do aluno do século 21; - Oferecer ferramentas e apoiar o educador na formulação de práticas contemporâneas que integrem educação e cultura a partir da arte em ações concretas na escola e na cidade como ambientes de aprendizagem; - Apoiar e valorizar experiências integradas de educação e cultura a partir da arte que favoreçam a melhoria do ambiente escolar e da relação interpessoal nas aprendizagens; - Estimular a leitura a partir da criação e melhoria de ambientes e referências de leituras mais conectadas aos interesses dos jovens.

Descrição

O desejo de todos que se interessam pela educação é que os alunos se identifiquem com o espaço escolar, apropriando-se dele como protagonistas. Contudo, a maioria das escolas públicas tem uma estética institucional padrão marcada normalmente por uma pintura metade cinza e a outra metade branca. É muito similar à estética dos hospitais, delegacias e presídios. Quem quer de fato identificar-se com tais espaços? Lidar com uma estética de identidade jovem no ambiente escolar não é tarefa fácil para os gestores. Alunos que danificam o patrimônio escolar, deixando seus sinais estampados como forma de demarcar o território sempre existiram. Continuarão a existir. Quanto mais o ambiente escolar mostra-se árido, desprovido de marcas estéticas que representem as pessoas que o frequentam, maior é o número de depredações e tentativas desajustadas de humanizar esse espaço. O resultado aparece em forma de “protestos” frustrados representados nas pichações de banheiros, paredes e carteiras. Com a reflexão proposta nos encontros presenciais e com as ferramentas adquiridas nas oficinas os professores são estimulados a rever sua prática e propor ações mais inovadoras que atualizam o ambiente físico e humano da escola em lugares de convívio mais contemporâneos e integrados ao que está sendo vivido na cidade como espaço de aprendizagens e produção cultural. A tecnologia envolve três etapas: encontros presenciais de formação de professores e agentes culturais; apoio à distância para que os profissionais elaborem seus projetos customizados; e evento englobando a visita e intervenção de um artista reconhecido da arte urbana e a doação de uma minibiblioteca urbana. Nos encontros presenciais, durante o primeiro dia, são discutidos os desafios atuais da educação, as possibilidades de mudança, o papel do professor como um gestor da cultura na escola e a cultura urbana como plataforma de comunicação e porta de entrada para acessar a arte prevista no currículo, ou seja, artistas da arte urbana são colocados lado a lado com artistas mais tradicionais de forma a se estabelecer referências e identificarem-se pontos em comum, o que possibilita o estudo da arte prevista no currículo a partir de produções que os alunos reconhecem e se identificam. No segundo encontro, em formato de oficina, os professores são convidados a uma experiência de educação integral, aliando a poesia concreta à leitura e à arte, por exemplo. No terceiro encontro os professores entram em contato com técnicas típicas da arte urbana como o graffiti, o estêncil, o lambe-lambe, o zine e o sticker. Ainda estão sendo implementados outros encontros com novas técnicas da cultura urbana como oficinas de fotografia e vídeo, mobiliários urbanos, entre outros. Para que toda essa construção de conhecimento não se perca na transição do ambiente formativo do professor para a sala de aula, ou seja da teoria para a prática, e para que ele mesmo adeque seu aprendizado para aplicá-lo em sua realidade única, os professores são convidados e apoiados a elaborarem projetos customizados para sua escola. São também estimulados a aliarem-se às outras disciplinas e profissionais nesta tarefa. Na última etapa, levamos à escola um artista consagrado na comunidade da arte urbana para fazer uma intervenção, mostrando ao vivo sua técnica e bater um papo com os alunos sobre sua carreira. Nesta última etapa, ainda doamos uma minibiblioteca urbana com cerca de 30 títulos de interesse juvenil com temas como skate, graffiti, música, fotografia, etc que contribuem para o incentivo à leitura e transformação da biblioteca escolar em espaço mais atrativo ao interesse juvenil.

Resultado Alcançado

Resultados quantitativos: 2011 – 46 professores formados; 2.000 alunos beneficiados; 7 escolas com intervenções artísticas; 6 projetos de intervenção urbana na escola elaborados e disponibilizados a outros profissionais. 2012 - 50 professores formados; 10.300 alunos beneficiados; 10 escolas/Centros de Educação Unificados com intervenções artísticas; 7 projetos de intervenção urbana na escola elaborados e disponibilizados a outros profissionais. 2013 – 85 professores formados; 7.000 alunos beneficiados; 7 escolas com intervenções artísticas; 7 projetos de intervenção urbana na escola elaborados e disponibilizados a outros profissionais. 2014 – 35 professores formados; 8750 alunos beneficiados; 7 escolas com intervenções artísticas; 7 projetos de intervenção urbana na escola elaborados e disponibilizados a outros profissionais. 2015 (previsão) – 35 professores formados; 8750 alunos beneficiados; 6 escolas com intervenções artísticas; 6 projetos de intervenção urbana na escola elaborados e disponibilizados a outros profissionais. Total: 251 professores de arte e outras disciplinas formados; 36.800 alunos beneficiados; 37 escolas com intervenções artísticas; 33 projetos de intervenção urbana na escola elaborados e disponibilizados a outros profissionais. Resultados qualitativos: Os projetos de intervenção urbana na escola elaborados pelos professores vão desde um plano de aula de curta duração (3 ou 4 aulas) envolvendo apenas uma disciplina a projetos com duração anual envolvendo diversas disciplinas da escola. Há relatos de professores que estão desenvolvendo outros projetos de intervenção urbana na escola após o período de implantação da tecnologia, revelados em pesquisa de impacto realizada através de formulário online. Os resultados são acompanhados através de listas de presença, fichas de avaliações, registros fotográficos e audiovisuais. Além deste acompanhamento, todos os projetos elaborados pelos professores são disponibilizados a outros profissionais através do site institucional. Ainda mantemos um canal de comunicação aberto com os profissionais da educação e cultura através de nossas redes sociais. Os professores preenchem uma ficha de avaliação ao final de cada encontro e os jovens que participam diretamente da visita e intervenção do artista são convidados a darem um depoimento avaliativo.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
São Paulo / São PauloEscola Estadual Emygdio de Barros - Vila Butatã09/2011
São Paulo / São PauloEscola Estadual Anhanguera - Lapa10/2011
São Paulo / São PauloEscola Estadual Emiliano - Alto de Pinheiros10/2011
São Paulo / São PauloEscola Estadual Godofredo Furtado - Pinheiros10/2011
São Paulo / São PauloEscola Estadual Flávia Vizibelli Pirró - Parque Jabaquara11/2011
São Paulo / São PauloEscola Estadual Samuel Klabin - Alto de Pinheiros11/2011
São Paulo / São PauloEscola Estadual Maria Zilda Gamba Natel - Jardim Parque Morumbi03/2011
São Paulo / São PauloEscola Estadual Ceciliano José Ennes - Itaim Bibi09/2012
São Paulo / São PauloEscola Estadual Oswaldo Aranha - Brooklin Paulista09/2012
São Paulo / São PauloEscola Estadual Flávia Vizibelli Pirró - Parque Jabaquara09/2012
São Paulo / São PauloEscola Estadual Reinaldo Ribeiro da Silva - Lapa09/2012
São Paulo / São PauloEscola Estadual Romeu de Moraes - Vila Ipojuca09/2012
São Paulo / São PauloCentro Educacional Unificado Vila Atlântica - Pirituba11/2012
São Paulo / São PauloCentro Educacional Unificado Perus - Perus11/2012
São Paulo / São PauloCentro Educacional Unificado Pêra Marmelo - Jaraguá11/2012
São Paulo / São PauloCentro Educacional Unificado Jaguaré - Jaguaré11/2012
São Paulo / São PauloCentro Educacional Unificado Parque Anhanguera - Jardim Anhanguera11/2012
São Paulo / São PauloEscola Estadual Maria Amélia Braz - Jardim São Rafael09/2013
São Paulo / São PauloEscola Municipal de Ensino Fundamental Lourival Brandão dos Santos - Jardim Reimberg09/2013
São Paulo / São PauloEscola Estadual Jardim Moraes Prado II - Jardim Moraes Prado09/2013
São Paulo / São PauloEscola Municipal de Ensino Fundamental Emiliano Di Cavalcanti - Água Rasa09/2013
São Paulo / São PauloEscola Estadual Andronico de Mello - Vila Sônia10/2013
São Paulo / São PauloEscola Estadual Davi Zeiger - Jardim Maria Amália10/2013
São Paulo / São PauloEscola Técnica Jaraguá - Jaraguá11/2013
São Paulo / São PauloEscola Estadual Frei Paulo Luigi - Pari11/2014
São Paulo / São PauloEscola Estadual Miss Browne - Vila Pompéia11/2014
São Paulo / São PauloEscola Estadual Buenos Aires - Santana11/2014
São Paulo / São PauloEscola Municipal de Ensino Fundamental Fagundes Varela - Campo Limpo11/2014
São Paulo / São PauloEscola Municipal de Ensino Fundamental José Lins do Rego - São Mateus11/2014
São Paulo / São PauloEscola Estadual Luiz Gonzaga Righini - Limão11/2014
São Paulo / São PauloOrganização Social Adere - Vila Santa Catarina12/2014
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Alunos do ensino fundamental
Alunos do ensino médio
Professores do ensino fundamental
Professores do Ensino Médio
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

CUSTO TOTAL COM MATERIAIS = R$12.090,00: - Transporte (6 X R$ 120,00) = $720,00; - Alimentação (3 X R$ 200,00) = $600,00; - Material Consumo (3X R$ 350,00) = R$1.050,00; - Material Didático (1X R$ 2.000,00) = R$ $2.000,00; - Material Intervenção Artística (1X R$ 600,00) = R$ 600,00; - Livros (30X R$ 75,00) = R$ 2.250,00; - Embalagem (1X R$ 200,00) = R$200,00; - Transporte (1X R$ 220,00) R$220,00; - Impostos (1X R$ 4.450,00) = R$4.450,00.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

TOTAL GERAL: R$31.090,00 OBS.: Com uma média de investimento de R$200.000,00 temos realizado a implantação de 7 unidades da tecnologia ao ano.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Diretoria Regional de Ensino Região Centro Oeste (estadual)Articulação das escolas e professores e cessão de espaço para a formação.
Associação Crescer SempreArticulação das escolas e professores e cessão de espaço para a formação.
Diretoria Regional de Ensino Região Pirituba (municipal)Articulação das escolas e professores e cessão de espaço para a formação.
Paço das ArtesCessão de espaço para a formação.
Instituto Tomie OhtakeArticulação das escolas e professores e cessão de espaço para a formação.
Diretoria Regional de Ensino Região Centro (estadual)Articulação das escolas e professores e cessão de espaço para a formação.
Organização Social AdereCessão de espaço para a intervenção.
Centro Cultural Banco do NordesteArticulação dos professores e cessão de espaço para a formação.
Diretoria Regional de Ensino Região Sul 3 (estadual)Articulação das escolas e professores e cessão de espaço para a formação.
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Livro que sistematiza a tecnologiadownload
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

“Depois do curso e de trabalhar aquele ano a arte urbana com as crianças, percebi que ficaram mais ligadas ao espaço ao redor. Ficaram mais atentas e perceptivas. O fato da nossa escola ter sido escolhida para ter um muro do SHN aumentou demais a autoestima das crianças. E o meu “Beco das Artes” é um sucesso, todos querem ter seu trabalho lá." (Yvelise Fonseca Cavalcante, Escola Estadual Professor Ceciliano José Ennes, 2012). Outros depoimentos e a sistematização completa da tecnologia podem ser encontradas no livro "A escola é cidade & a cidade é escola" disponibilizado neste Banco de Tecnologias Sociais. Ou solicite pelo e-mail eduqativo@terra.com.br