ÁGUA E ECONOMIA SOLIDÁRIA

certificada 2017

Instituição
Movimento de Organização Comunitária
Endereço
Rua Pontal - Cruzeiro - Feira de Santana/BA
E-mail
moc@moc.org.br
Telefone
(75) 3322-4444
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Ana Glécia da Silva Almeida(75) 9922-1241anaglecia@moc.org.br
Resumo da Tecnologia

Captação e armazenamento de água da chuva, em cisternas de placa com capacidade de armazenamento de 52 mil litros de água destinada a para produção de alimentos, feita pelos Empreendimentos Econômicos Solidários – EES do semiárido baiano. cisternas de placa como alternativa para armazenamento de água para produção coletiva com bases na economia solidária.*{ods2},{ods3},{ods6}*

Tema Principal

Recursos Hídricos

Tema Secundário

Alimentação

Problema Solucionado

O semiárido brasileiro é uma região que historicamente teve a produção de alimentos aliada a períodos de chuva. Com o passar dos anos as comunidades rurais desenvolveram a cultura do estoque. A disseminação dessa pratica, contribuiu para que milhares de famílias no campo tivesse acesso a tecnologias sociais de armazenamento de água. Mas, essas famílias estavam em grupos e empreendimentos de produção coletiva, cuja atividade principal era a produção e beneficiamento de alimentos, a esses grupos, o maior problema era Água para realização das atividades, produção e beneficiamento de alimentos.O projeto Rede de Cidadania no Sertão da Bahia em uma de suas ações, proporcionou a construção de cisternas de placa,como alternativa de captação e armazenamento da água do telhado para os 08 Empreendimentos Econômicos Solidários – EES no semiárido baiano,uma experiência que chegou a 08 comunidades dos municípios de Santaluz,Conceição do Coité,Serrinha, Nova Fátima,Pé de Serra e Riachão do Jacuípe. Contribuiu para o fortalecimento da geração de trabalho e renda para grupos que são formados na sua maioria por mulheres do campo, experiencia que já chega a ser solicitada que seja ampliada.

Objetivo Geral

Mobilizar agricultores e agricultoras familiares do semiárido baiano, para a aplicação da tecnologia de captação e armazenamento de água das chuvas para o processamento e a produção de alimentos de forma coletiva e solidária.

Objetivo Específico

1.Contribuir para que Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) da Agricultura Familiar e de comunidades tradicionais dos municípios da área de abrangência do MOC, atuando na perspectiva de uma Economia que seja justa, inclusiva e Solidária, articulados em redes e organizados nos processos de gestão, produção, beneficiamento, divulgação e comercialização, fortalecendo a convivência com o semiárido. 2. Propiciar o acesso à tecnologia social de captação e armazenamento de água da chuva para a produção de alimentos em 08 empreendimentos econômicos solidários- ESS do semiárido baiano, compostos por aproximadamente 200 agricultoras e agricultores familiares. 3. Capacitar em Convivência com Semiárido e Gerenciamento da água coletiva, integrantes dos grupos de empreendimentos Econômicos Solidários, envolvidos no projeto Rede de Cidadania no Sertão da Bahia.

Descrição

Ao longo de sua trajetória, o Movimento de Organização Comunitária – MOC, vem desenvolvendo ações em rede buscando o fortalecimento da convivência com o semiárido. As cisternas de placa foi uma tecnologia encontrada para diminuir os efeitos das secas e garanti o estoque da água da chuva.Inicialmente a tecnologia era somente usada para estocagem de água destinada ao consumo humano, refletindo que a falta de água não atingia apenas as famílias, essa tecnologia vem ampliando se; em dimensão, área de captação - telhado -calçada e enxurrada e ainda, quanto ao publico a atender. No que se refere ao consumo, escolas do campo estão usando essa técnica para armazenamento de água e como elemento gerador de conhecimento, partindo para o fortalecimento da produção e ou beneficiamento, vem ampliando as perspectivas quer seja de origem animal, vegetal e ou no beneficiamento e processamento dos mesmos. As cisternas de placa apresenta se como o mais adequado objeto de captação e armazenamento de água para a região semiárida. O diferencial está na área de captação e utilização da água, para produção animal e vegetal pode ser a água bruta sem tratamento, sua captação pode ser via enxurrada e calçada, para o beneficiamento e ou processamento de alimentos a água deve ser tratada, sendo assim a captação deve ser feita via telhado. O projeto Rede de Cidadania no Sertão da Bahia dentre suas ações possibilitou a construção de cisternas com capacidade de 52.0000m³ destinadas a armazenar a água da chuva, captadas pelos telhados dos espaços dos grupos coletivos de produção, a fim de atender as atividades de beneficiamento e produção de alimentos como doces, biscoitos e geleias.A implementação das cisternas para essas organizações coletivas, configura se como um instrumento de fortalecimento da economia local, a água que antes era a maior dificuldade agora fortalece vínculos e possibilita o incentivo e aumento da produção nas comunidades. Destacamos que o que houve foi a construção de sonhos, a construção de relações coletivas, a potencialização das produções já existentes nas comunidades. Não foi só construção de cisternas de cimento e concreto mas o acesso a esse instrumento que provocou toda uma mobilização social nas comunidades rurais. Muito mais que produzir e comercializar nos grupos essa ação promoveu o envolvimento das pessoas pertencentes a esses espaços, juntos refletirão e dialogarem todas as atividades, desde o processo da construção das tecnologias com a viabilização de ajudantes na construção das cisternas, o preparo da alimentação para os pedreiros, até no processos mais complexos como a aquisição ou ampliação de área de terra para as unidades produtivas, de forma a garantir espaço para a implementação da tecnologia, a unidade que teve essa demanda recebeu doação de terreno por integrantes ou por famílias da comunidade. Sensibilizar e envolver os sujeitos em todas as etapas do projeto Rede de Cidadania no Sertão da Bahia e nessa ação de fomentar o acesso a tecnologia de captação e armazenamento de água do telhado para unidade de produção coletiva, foi a estratégia essencial para fortalecer o protagonismo estimular o exercício da cidadania, e ainda contribuir para o fortalecimento a partir da geração de renda de forma coletiva e co base nos princípios da economia solidaria.

Resultado Alcançado

Resultados Quantitativos: 08 cisternas de placas construídas com potencial de armazenamento de 416.000m³ de água da chuva; 08 empreendimentos econômicos solidários em seis municípios do semiárido Baiano atendido, aproximadamente 200 agricultoras e agricultores envolvidos; 160 agricultores e agricultoras familiares refletiram nos Cursos de Gerenciamento de Recursos Hídricos comunitários com base na gestão coletiva e solidária a água para a produção; 200 agricultores e agricultoras integrantes de empreendimentos econômicos solidário dos 06 municípios com acesso a água para a produção. Resultados qualitativos: Homens e mulheres juntos refletindo a produção coletiva; Envolvimento dos jovens que atuam nos grupos na execução das ações do projeto; “água para a produção trouxe mais dignidade para os nossos grupos” (Fermina S. da Silva, Comunidade de Calumbi, município de Santa Luz) “A cisterna está lá cheinha e serviu nesse período de seca para outras pessoas da comunidade usarem a água para beber” ( Floripes e Oliveira Mendes, comunidade de Lagoa dos Bois, município de Pé de Serra)

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Santaluz / BahiaCalumbi e Lagoa Escura07/2015
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Agricultores Familiares
Jovens
Mulheres
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

MATERIAIS Especificação Quant Unid Aco CA-50 1/4" (6,35mm) 29,40 Kg Aco CA-50 5/16" (7,94mm) 104,28 Kg Arame Recozido 18 BWG - 1,25mm - 9,60 G/M 1,0 Kg Arame Galvanizado 12 BWG - 2,60mm - 48,00 G/M 40 Kg Areia Grossa 16 M3 Pedra Britada N. 1 ou 19mm 4,5 M3 Cadeado Latão Cromado H = 25mm 1 Unid Impermeabilizante P/ Concreto e Argamassa Tp Vedacit ou Marca Equivalente 12 Kg Tubo PVC P/ Esg Predial DN 100mm 16 M Tubo PVC P/ Esg Predial DN 150mm 3 M Cimento Portland Comum CP I-32 50kg 70 Saco Chapa Galv Plana 30gsg 0,399mm 3,204kg/M2 31 Kg Cal Hidratada P/ Pintura 10 Kg Cap PVC Sold P/ Esg Predial DN 100mm 1 Unid Joelho PVC Serie R P/ Esg Predial 90g DN 100mm 3 Unid Te Pvc Serie R P/ Esg Predial 100 X 100mm 1 Unid BOMBA CENTRIFUGA C/ MOTOR ELET. MONOF. 1/3HP BOCAIS 1 X 3/4 1 Unid Placa de Identificação 1 Unid Tampa 1 Unid Agua para construção 2 Unid Prestação de Serviço de Escavação 10 dias Encargos do Serviço de Escavação (INSS 20%) 10 dias Pedreiro 14 dias Encargos da Remuneração do Pedreiro (INSS 20%) 14 dias Trabalho de Auxiliar de Pedreiro (Servente) 14 dias Encargos do Auxiliar de Pedreiro (Servente - INSS 20%) 14 dias Alimentação para Pedreiro e Servente 28 dias

Valor estimado para a implementação da tecnologia

O valor estimado pra material e mão de obra da implementação 7.604,30 mais o valor de pessoal no acompanhamento da execução 3.500,00, sendo que equipe técnica entrou como contrapartida da entidade proponente.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Arco Sertão CentralParceira co executora
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
Termos de comprovação recebimento das 8 tecnologias.Baixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

Atualmente a produção de alimentos no semiárido vem ganhando novas formas de organização, as mulheres que antes somavam aos homens na agricultura familiar, agora soma na produção coletiva.Os empreendimentos econômicos solidários tem sido uma maneira de ampliar a geração de renda, agregar valor aos produtos feitos nas comunidade e ainda de fomentar a economia Solidária.Homens e mulheres articulados coletivamente contribuem significativamente para a economia local de maneira sustentável.A água segue como elemento crucial para o desenvolvimento humano e nesta ação que integra o projeto Rede de Cidadania no Sertão da Bahia, com a cisterna cada empreendimento pode melhor produzir e ocupar espaços estratégicos de comercialização como os mercados institucionais dialogando direto com poder pub