Ações e Alternativas Contra Subnutrição Infantil

certificada 2017

Instituição
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Endereço
Instituto de Ciências Agrárias (ICA) - UFMG - Campus Regional de Montes Claros Avenida Universitária, 1.000 – Montes Claros – MG – CEP: 39.404-547 - Bairro Universitário - Montes Claros/MG
E-mail
ibrandi@hotmail.com
Telefone
(38) 9996-40111
Responsáveis pela tecnologia
NomeTelefoneE-mailRedes Sociais
Ana Carolina Santos Rocha(73) 9911-6145anacsr@ufmg.br
Anna Christina de Almeida(38) 99987-2929annachristinadealmeida@gmail.com
Bruna Mara Aparecida de Carvalho(38) 99919-9700brunacarvalho@ufmg.br
Carla Adriana Ferreira Durães(38) 9910-55383carladuraes@ica.ufmg.br
Fabiane Neves Silva(38) 9917-61962fabianenevez@ufmg.br
Fernanda Santos Barros(11) 9849-94533fernandas97@ufmg.com.br
Grazielle Layanne Mendes Santos(38) 9917-13206grazilayanne@ufmg.br
Handray Fernandes de Souza(38) 9917-37086handrayfds@ufmg.br
Igor Viana Brandi(38) 9996-40111ibrandi@hotmail.com
Jessica Ferreira da Costa Matias da Silva(38) 9924-65857jessicacostamatias@ufmg.br
João Pedro Antunes Lopes(31) 9914-19157jpantunes94@ufmg.br
Larissa Bessa Fernandes(38) 9914-95306lbf@ufmg.br
Maria Helena Freitas Lopes(38) 9923-58687mariahfl@ufmg.br
Paula Karoline Soares Farias(38) 9999-53007paulak.soares@hotmail.com
Raquel Borges Faria(35) 9984-78119raaquelbf@ufmg.br
Sérgio Henrique Sousa Santos(38) 99912-1055sergiosousas@hotmail.com
Thalita Cordeiro Santos(38) 9980-43714tcs@ufmg.br
William James Nogueira Lima(38) 9884-61060William@ica.ufmg.br
Resumo da Tecnologia

Trata-se de uma bebida láctea fermentada a base de soro de leite, suplementada com minerais e adicionada de polpa de fruto do cerrado, capaz de suprir as necessidades nutricionais de crianças desnutridas. Esse produto constitui-se de um alimento estável, nutricionalmente balanceado, que complementa as necessidades básicas diárias de uma criança. Tem a eficácia contra a subnutrição infantil e possui elevada aceitabilidade pelas crianças. Supre as carências nutricionais e estimula hábitos alimentares saudáveis. Dessa forma, o projeto propõe alternativa a solução de problemas socioeconômicos e ambientais do pais e mundiais*{ods2},{ods3}*. (Fotos: Lucas Braga Fonseca)

Tema Principal

Saúde

Tema Secundário

Alimentação

Problema Solucionado

A subnutrição infantil representa, provavelmente, o problema mais importante da população brasileira, com severas consequências econômicas e sociais. Dados do Ministério da Saúde registram aproximadamente 89 mil crianças menores de cinco anos desnutridas no Brasil (SISVAN, 2014). Cerca de 50% dessas crianças estão no estado de Minas Gerais. A desnutrição infantil, além de diminuir a imunidade de crianças, aumenta a susceptibilidade a doenças e prejudica o desenvolvimento físico e mental. O monitoramento do risco nutricional deve ser ainda mais intensivo nos primeiros anos de vida, pois este é o período de maior vulnerabilidade e agravos não apenas nutricionais como também infecciosos e ambientais. A falta de nutrientes interfere em todo o seu desenvolvimento psicomotor e, quando em níveis altos, pode provocar a morte precoce das crianças. Por outro lado, outro problema constatado, é a contaminação ambiental causada pelo descarte de soro da indústria de laticínios. No Brasil, o volume estimado de queijo foi de 423.000 toneladas, correspondendo à produção de aproximadamente 3.807.000 toneladas de soro. Vislumbrou-se o uso do soro como base para novo produto contra a subnutrição.

Objetivo Geral

Erradicar a subnutrição infantil através do fornecimento de alimento com elevado valor nutricional e de baixo custo. Fornecer a essas crianças alimento fermentado, a base de soro de leite, suplementado com ferro e polpa de fruta do cerrado, como proposta ao combate à subnutrição.

Objetivo Específico

Produzir a bebida láctea e avaliar seu impacto na subnutrição infantil; Realizar testes de eficácia no metabolismo in vivo, realizados em camundongos; Realizar estudos da eficácia do produto em crianças subnutridas; Disseminar conhecimentos técnicos através do projeto de extensão, integrando a universidade com a sociedade; Estreitar as relações entre Universidade, Secretarias de Saúde e Educação da Prefeitura, Postos de Saúde, Escolas Públicas, Pastoral da Criança, dentre outros setores da sociedade; Estimular alunos na inserção social de forma a viabilizar e ser facilitador no processo da busca de soluções dos problemas sociais; Estimular as empresas a buscarem alternativa alimentar a partir do subproduto da indústria de laticínios para uso em alimentos alternativos ricos em nutrientes e fomentar a importância do tratamento de efluentes na região de forma a minimizar contaminação ambiental. Disseminar o uso de alimentos de baixo custo como alternativa a alimentação de famílias.

Descrição

O projeto se iniciou no ano de 2015, com envolvimento de pesquisadores nas áreas de engenharia de alimentos, nutrição e saúde. Inicialmente, realizou-se a formulação de uma bebida láctea fermentada a base de soro de queijo, suplementada com ferro e frutos do cerrado. Trata-se de uma bebida balanceada capaz de suprir as necessidades nutricionais diárias de crianças, e retirá-las do estado de desnutrição após o consumo diário por dois meses. O soro de leite com leite são pasteurizados e após fermentados através do uso de bactérias láticas. São adicionados estabilizantes para que não ocorresse dessoramento com o tempo. Após, essa bebida fermentada é suplementada com ferro e polpa de frutos do cerrado. Para que a bebida pudesse ser testada em crianças, obteve-se previamente autorização de produção da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anexo). Toda a produção foi realizada no Laboratório de Tecnologia de Alimentos, situado no Instituto de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais, campus Montes Claros - MG. Realizou-se também análise físico química dos frutos do cerrado, afim de se avaliar a composição em proteínas, ferro e demais minerais. Todas análises foram realizados de acordo com técnicas utilizadas pelo Ministério da Agricultura. Essa composição centesimal foi utilizada no balanço nutricional das formulações utilizadas no projeto. Em paralelo à distribuição da bebida para as crianças, também foi realizado testes experimentais em camundongos. A animais subnutridos foram fornecidos a mesma bebida em delineamentos elaborados para se comprovar a eficácia da mesma contra a subnutrição. Para isso, o projeto foi previamente submetido na plataforma do CEUA (Comissão de Ética de Uso de Animais), da Universidade Federal de Minas Gerais. Após a aprovação do projeto a, através do protocolo 377/2015, iniciou-se o experimento no biotério. O experimento constituiu na divisão dos camundongos em grupos, alguns permaneceram com a mesma dieta até o final do experimento, enquanto outros foram induzidos à desnutrição por restrição calórica. Pelo fato de se tratar de experimentos com pessoas, obteve-se também autorização do Comitê de Ética em Pesquisa, através da Plataforma Brasil. bem como a autorização dos pais através do Termo de Consentimento Livre Esclarecido. Realizou-se diversas análises sensoriais, através do uso de escala Hedômica, de forma a comprovar com análises estatísticas a aceitabilidade da bebida em diversos sabores. Produziram-se e analisaram-se bebidas com sabores de umbu, cagaita, coquinho azedo, mangaba e tamarindo. Estas foram avaliadas por crianças da Escola Municipal Dominguinhos Pereira/CAIC do bairro Maracanã, em Montes Claros MG, através de teste de aceitabilidade direcionado para crianças (Anexo). Foi realizado diagnóstico situacional da subnutrição infantil e com apoio de agentes de saúde em conjunto com a Pastoral da Criança, para a detecção das crianças desnutridas na cidade de Montes Claros. Inicialmente foi apresentado o projeto às famílias, bem como aplicado um questionário de hábitos alimentares e de questões de saúde, para seleção das crianças. Também foi fornecido termo de consentimento (Anexo), que autoriza a participação da criança em exames de sangue quando necessários, e aferição de medidas (peso, altura e idade), além da divulgação das fotos realizadas posteriormente. Para se confirmar a desnutrição das crianças foi realizado testes antropométricos, seguido de teste de albumina realizado em laboratório. Dessa forma, após a detecção da desnutrição nessas crianças, iniciou-se a distribuição da bebida diariamente durante dois meses. Ao fim do período de distribuição, realizou-se novamente os testes antropométricos e o teste de albumina para, então, se avaliar os efeitos dessa bebida nas crianças. Importante salientar que após a produção das bebidas são realizados, rotineiramente, testes físico-químicos e análises microbiológicas com elaboração de laudos desses resultados (Anexo). Somente após a apresentação do mesmo as bebidas são liberadas, para serem distribuídas para as crianças, garantindo a produção da bebida em condições higiênico-sanitárias satisfatórias, e consequentemente, a integridade da saúde das crianças que consomem o produto. O projeto possui o desafio de aumentar a escala de produção e poder fornecer esse alimento a todas crianças subnutridas da cidade de Montes Claros, e posteriormente buscar a erradicação da desnutrição infantil no Brasil. Vislumbra-se também a possibilidade de desidratar a bebida, de forma a poder se fornecer alimento em para ser transportado a regiões mais distantes, e até mesmo outros países que precisam.

Resultado Alcançado

Na etapa de desenvolvimento da bebida, conseguiu-se uma formulação estável, com bactérias láticas viáveis, contendo carboidratos, proteínas, lipídeos, fibras, cálcio, ferro, fósforo e sódio, confirmados através de análises laboratoriais No teste de aceitabilidade,obteve-se aceitação de 85% em crianças de 2 a 5 anos de idade. Foi possível inferir que a bebida com maior taxa de aceitabilidade foi a de coquinho azedo (85% de aceitação – Teste de Tukey 0,05). Contudo, confirmou-se que todos os sabores utilizados, mangaba, umbu, coquinho azedo, cagaita, também tiveram aceitação acima de 80%. A variação nos sabres durante o fornecimento é importante para que as crianças mantivessem a aceitação, e também para que pudesse se aproveitar as safras dos frutos. Nos testes com animais de laboratório, com dois meses de tratamento, avaliou-se o efeito da bebida láctea nos camundongos, especialmente naqueles que apresentavam baixo peso, portanto, foi possível perceber um aumento de peso considerável para os mesmos, enquanto para os que não receberam a bebida percebeu-se uma estabilidade dos pesos. A partir dos valores antropométricos das crianças e do teste de albumina foi possível realizar o diagnóstico da desnutrição de crianças. Após o fornecimento diário da bebida a crianças diagnosticadas com subnutrição, em estado de magreza, magreza acentuada e eutrofia, comprovou-se que através da suplementação alimentar por dois meses estas conseguiram sair do estado de desnutrição. Através das análises de exame de sangue, foi possível confirmar a eficácia da bebida para se elevar o teor de albumina do sangue de valores considerados muito baixos (2,9%), e baixos (3,1 a 4,4%) para valores aceitáveis, acima de 4,5% na média. Esses resultados foram confirmados pelas análises antopométricas (peso e altura) , que comprovam a eficácia da bebida para retirar crianças do estado de subnutrição infantil. Os resultados comprovaram que o soro de leite pode ser utilizado como base nutricional para desenvolvimento de alimentos nutricionais, desde que seja suplementado com outras fontes. Neste caso, buscou-se como alternativa os frutos do cerrado por serem de fácil acesso e conhecidos pelas famílias da região, permitindo elevada aceitação do produto. Entretanto, o alcance do projeto restringiu-se a capacidade produtiva do laboratório, que busca alternativas para ampliar a produção e poder alcanças maior número de famílias que possuem crianças subnutridas.

Locais onde a Tecnologia Social já foi implementada
Cidade/UFBairroData da implementação
Montes Claros / Minas GeraisTiradentes02/2015
Montes Claros / Minas GeraisTancredo Neves06/2015
Montes Claros / Minas GeraisRenascença09/2015
Montes Claros / Minas GeraisResidencial Vitória ll02/2016
Montes Claros / Minas GeraisAlto São João02/2017
Público-alvo da tecnologia
Público alvo
Adolescentes
Agricultores
Agricultores Familiares
Crianças
Famílias de baixa renda
Gestores Públicos
Lideranças Comunitárias
População em geral
Profissionais de Saúde
Recursos materiais necessários para implementação da tecnologia

O projeto necessita especificamente de uma caldeira e uma câmara fria. Com a caldeira será possível produzir vapor para esterilizar os equipamentos que já conseguimos adquirir através de doações, como exemplo um bioreator em aço inox de dois mil litros de capacidade e uma envasadora que pertence a prefeitura, mas disponível para uso. A câmara fria para estocar a bebida após produção e viabilizar a distribuição. Precisa-se também de refrigeradores para ficarem nos postos de distribuição e um caminhão refrigerado para distribuição (após a unidade de produção for efetivada). De materiais secundários são necessários embalagens, rótulos, material de laboratório para análise microbiológica, caixas plásticas de distribuição. Insumos de análise para as crianças (análise de sangue). O maior desafio é reformar a antiga fábrica desativada de leite de soja da Prefeitura de Montes Claros para poder produzir alimentos para toda cidade e região norte de Minas Gerais, onde concentra-se o maior percentual de crianças subnutridas do Brasil.

Valor estimado para a implementação da tecnologia

A Universidade desenvolveu o produto e confirmou sua eficácia contra a subnutrição infantil. A prefeitura se disponibilizou a fornecer área, e antiga fábrica, e alguns equipamentos existentes que estão parados, como uma vaca mecânica e envasadora. Precisa-se de cerca de R$50.000,00 para uma caldeira e melhorar a área existente para começar a produzir em maior escala.

Instituições parceiras na tecnologia
Instituição parceiraAtuação na tecnologia social
Prefeitura de Montes Claros - MGSecretaria de Saúde e Secretaria de Educação para envolvimento das famílias, conscientização, educação alimentar, nutricional e questões inerentes a saúde.
Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTESDesenvolvimento de novas tecnologias para se desidratar o alimento através dos Programa de Pós Graduação em Saúde e em Biotecnologia
Hospital Universitário Clemente de FariaAnálise nutricional das crianças
Pastoral de CriançaApoio na triagem das crianças subnutridas e educação das famílias.
Universidade Federal de Minas Gerais - Instituto de Ciência AgráriasParticipação de docentes, técnicos administrativos e discentes
Anexos da tecnologia
LegendaArquivo/Download
teste de aceitabilidade da bebidadownload
autorização ANVISABaixar
termo de consentimentoBaixar
laudo de análisesBaixar
carta de recomendaçãoBaixar
coordenador Prof Igor Viana BrandiBaixar
Endereços eletrônicos associados à tecnologiaDepoimento Livre

O Projeto Ações e Alternativas Contra a Subnutrição Infantil possui forte apelo social. Ter como resultado um produto de baixo custo, que serve como alternativa a merenda escolar e suplemento alimentar às famílias de baixa renda, e ainda buscar utilizar um subproduto da indústria de alimentos, contribuindo à questão ambiental, aliado ao valor agregado com o uso de frutos regionais, como o cerrado, muito orgulha a toda equipe e parceiros envolvidos. Alcançar mais famílias que estão à margem da sociedade, e que muitas vezes não têm acesso a informação e a uma alimentação saudável, é o grande desafio para continuidade do projeto. Poder ajudar a erradicar a subnutrição infantil e dar oportunidade dessas crianças serem incluídas e poderem buscar uma vida mais digna é o que sonhamos.